quinta-feira, 5 de março de 2009

E eu nem fumei

A narguila gigante do Raphael veio parar aqui em casa.

O Rapha deixou-a com o H. que por sua vez largou com o Y.

Na mudança do Y, essa semana, ela chegou aqui de taxi. 

Está encostada no branco da parede num ângulo tal que mais parece um braço de violão.

E eu tô quase tocando narguila. Na esquina de baixo tem um lutier que parece o Gepetto.

Evito  entrar lá mas acho que aquele sonho com o Nando Reis já era o desejo saindo da sonolência. 

Num tô guentando mais ficar sem  violão, tudo indica.





5 comentários:

Djabal disse...

Sabe que eu tive uma cena assim alguma tempo atrás. Um narguila, música do araxa azul do Caetano, e uma folhinha de oficina mecânica, com uma moça retratada e que ficou tirando a roupa, só para mim. (na foto, bem entendido). Viu só como estava bom? Saudades. Beijos. Felicidades sempre.

Shlomit Or * Luciana Gama disse...

... assim, a Rosa púrpura da oficina mecânica. Se fosse eu na folhinha claro...:)

Anônimo disse...

vamos fumar isso logo!
Y.

Shlomit Or * Luciana Gama disse...

vamos, claro. como vc viu tem tudo aqui mas...você me garante que o CAsuperFOFO vai aturar a fumaça:?)

Y. disse...

a fumaca nao vai ser tao mais forte dos nossos milhoes de cigarros seguidos. ;-)