quinta-feira, 5 de março de 2009

Verdade Tropical

Faz dois dias que terminei a leitura do Verdade Tropical do Caetano.

Como disse anteriormente aqui: "Estou encantada com a maneira fluída, honesta e modesta com que o Caetano discorre. Pra minha surpresa a escritura passa ao largo de uma grandiloquência que eu, sinceramente, esperava e estava  preparada para encarar."

Eu reli várias vezes o  índice onomástico nas páginas finais. E só tendo uma noção espinhal da quantidade de pessoas citadas, renomadas ou não, descobri que naquela medula está o meu argumento de um narrador que se dissolve amorável.

Na noite que findei a leitura sonhei que narciso olhava sua imagem e se apaixonava por ela porque estava só, porque não havia ninguém com ele. Tudo seria diferente se houvesse uma companhia para Narciso.

Creio que a inclinação de Narciso para se apaixonar pelo que viu, elezinho,  poderia ser por uma flor,  um bicho, uma nuvem ou um outro ser humano se isso também se refletisse na sua cena primordial. Haveria, ao menos, oportunidade de escolha. E, se então, optasse por sua própria imagem aí sim eu teria a certeza de que Narciso é narcisista.  Para mim a maior característica de Narciso é a sua capacidade para ver e amar o visto.
 
Acordei achando graça do meu sonho. Caetano nunca esteve só, pensei. E  chamei de bom gosto o que li; de bom gosto, bom gosto.





3 comentários:

Djabal disse...

É tão gostoso ler o que você escreve, mas tão gostoso. Um vício.Um costume e um hábito.
Narcisístico também? Beijos.

autumn girl disse...

Oi moça.Tudo bem?
Descobri sua página no blog do Phil.
Gostei muito dos seus textos. São leves e me dão a impressão que estou ouvindo você falar, não apenas lendo suas palavras.
Fico feliz que esteja bem. Vai casar? Que magavilha! Tudo de bom pra você. Bjs da Déia.

Shlomit Or * Luciana Gama disse...

Déia...
que bom achar você aqui!
esperamos vocês aqui. Todo mês!...:)
Sim, acho que vai sair casório mas...nenhum casamento do mundo será igual ao de vocês!!!!
Por falar nisso no seu casamento a Eliana ( do pessoal da Kabalah) dizia assim para mim:
"estamos perto da Chupá e vamos receber essas bençãos junto com o casal...fica aqui que vc vai casar em Jerusalém".
esse seu casamento é histórico mesmo...:)