segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Praça da Sé é pouco.

esqueci de contar que depois do shabat os meninos me chamaram para uma orgia gastronômica num restautante total Vila Madalena que tem por aqui. 

Pois não é que descobri que eles estavam me sonegando uma pérola da Jerusalândia?

Eles apelidaram o Domo da Rocha de "Kipá Dourado".

Depois demos aquela volta clássica pela Ben Yehudá:

O hippie que canta sem o microfone funcionar; o mágico que não deixa nada para  o Uri Gueller e para a pomada do peixe boi tamanho o número de pessoas que ficam a volta dele enquanto ele entorta garfos;

o alucinante coral de coreanos que se reúne todo sábado radiantes da vida e batendo palmas enquanto um monte de pinguim ( leia-se ultramegasuperortodoxos) ficam quase dançando em volta deles.

Parece que eles cantam algo que se traduz mais ou menos assim: "Com Jesus no coração Israel vai ser perdoado..."

A gente acha que eles são as pessoas mais felizes daqui...:)






Um comentário:

Yehuda disse...

AMO o Coral dos Coreanos Incompreensíveis!